Skip links

Monkeypox: os riscos e os cuidados com esse tipo de varíola

O registro do primeiro caso da monkeypox em Limeira pede atenção das empresas. A doença, também chamada de “varíola dos macacos”, é considerada emergência sanitária global. Municípios no entorno de Limeira, como Piracicaba, também identificaram casos.

Em caso de dúvida, a pessoa deve procurar imediatamente um médico. Esse tipo de varíola causado por um vírus, por, enquanto, tem baixo risco de transmissão.

A transmissão ocorre por contato com lesões de pele de pessoas infectadas, por meio de beijos, abraços, relações sexuais ou secreções respiratórias. Também há registros de transmissão por contato com roupas, roupas de cama e toalhas.

O tempo entre o contato com o vírus até o início dos sintomas varia geralmente de 6 a 13 dias. Basicamente, os sintomas são dor de cabeça, febre, dor no corpo, fadiga e mal-estar, num quadro que dificulta a alimentação e a respiração. Um dos sintomas típicos são as lesões ou feridas avermelhadas na pele que se espalham rapidamente pelo corpo.

A maioria dos seres humanos apresenta sintomas leves ou moderados, e há ainda os assintomáticos. De forma geral, a evolução é boa e o cuidado com as lesões resolve os casos sem complicações.

Uma das formas de prevenção é evitar o contato com roupas e objetos de uso pessoal e ficar perto de pessoas infectadas. Higienizar as mãos também evita o contágio.

Na Construção

No ambiente das empresas de construção, uma das formas de prevenção envolve cuidados com a higiene quando do uso do refeitório, banheiros e escritório. O compartilhamento de ferramentas e veículos deve ser evitado. Em caso de suspeita, deve-se procurar o médico e realizar um levantamento dos contatos feitos pela pessoa infectada.

O pessoal está usando o nome em inglês da doença até mostrar que o surto não tem participação dos macacos na transmissão para seres humano. As pesquisas recentes mostram o vírus mais presente em roedores. Atacar macacos não contribui para diminuir a circulação da doença, além de ser crime.

Deixe um comentário