8 dicas para controlar a conta de luz nas obras

O cenário hídrico no Brasil apresenta déficits que afetarão a conta de energia de empresas e consumidores. Por isso, o Sincaf dá algumas dicas de como agir nessa situação.

A questão pede cuidado quanto ao consumo de água. Vamos falar mais pra frente sobre esse tema.

Hoje, abordaremos a energia elétrica. No caso de parte dos associados do Sincaf, estamos falando em números consideráveis. Para produzir 1 m³ de concreto, as várias operações consomem perto de 770 kWh, segundo os especialistas.

Mas não vale pensar que, por ser pequeno, você não deve tratar do assunto. Economistas avaliam que os pequenos negócios e as famílias também serão impactados pela alta nas contas de luz.

Avalie quais medidas você pode adotar.

1) Iluminação e ventilação naturais

Sempre que for pensar no consumo de energia numa obra ou em casa, temos que levar em conta dois fatores principais: as condições naturais de ventilação e iluminação.

E são decisões tomadas geralmente na montagem do canteiro. No caso específico da obra, o projeto levará em conta situações como essas, já que há uma tendência de alta nos valores cobrados pela conta de energia. Isso ocorre em razão da elevação dos custos de produção nas hidrelétricas – formato de geração adotado em grande parte do Brasil.

Vale lembrar que a ventilação, por exemplo, ajuda a diminuir as horas de uso de um dos vilões da conta, o ar-condicionado.

2) O que deve ser monitorado

Uma simples planilha no computador ajuda nesse controle e na visualização dos dados. Nela, coloque todos os equipamentos do canteiro que precisam de energia. Uma furadeira ou um elevador devem estar lá.

Outro dado relevante é a necessidade de uso de cada um desses equipamentos até o final dos trabalhos.

O consumo é calculado pela quantidade de tempo de utilização multiplicada pela potência, que vem identificada em um selo no próprio equipamento. O resultado, em quilowatt-hora (kWh), é lançado na planilha.

A lista deve incluir espaços de uso comum, como refeitórios e sanitários.

3) Atenção com as lâmpadas

Já que falamos de espaços de uso comum, uma dica sempre presente é a redução do consumo com a troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou de LED.

A estimativa é que essa prática gera até 30% de economia. Além da iluminação, as tecnologias mais recentes são para lâmpadas frias, que exigem, por exemplo, menos ar condicionado.

4) “Se não está ligado, não está consumindo”: errado!

Cuidado!

A recomendação é que se retire das tomadas os aparelhos que não estão em uso. Exemplo disso é o carregador de celular. Se está na tomada, consome energia, mesmo se o telefone não estiver conectado a ele – carregador.

5) Vale em casa, vale no trabalho

Algumas práticas que adotamos em casa valem na empresa. Evite excesso de equipamentos ligados ao mesmo tempo. Fuja de operações nos horários de pico no consumo de luz.

Não tendo atividade numa sala, desligar o ar condicionado e as luzes.

Tente concentrar as ações. Por exemplo, abrir a geladeira seguidas vezes num curto espaço de tempo aumenta o consumo.

6) Fixar metas de redução

Aquilo que não é medido não é gerenciado.

A frase, comum nos treinamentos sobre gestão, vale aqui. Após conversas com o time, estabeleça metas de redução no consumo.

7) No zap, no holerite, no quadro de aviso

Na empresa, use as várias formas de comunicação para abordar a questão. Quem tem Diálogos Diários de Segurança (DDS), deve reforçar o tema. Uma mensagem no quadro de aviso ou no holerite vale nesse processo.

As novas tecnologias, como os grupos de Whatsapp, também colaboram na divulgação da informação.

Divulgue os resultados! Isso motiva os colaboradores.

8) Cuidado com a economia “fake”!

Fabricantes de equipamentos alertam para o cuidado na reposição de dispositivos presentes nas máquinas utilizadas nas obras. Reparos em motores elétricos dos equipamentos, por exemplo, devem usar peças de marcas confiáveis, o que reduz o consumo de energia e amplia a segurança nas operações.

Nesse momento, vale lembrar: confira o estado da fiação, disjuntores e outros itens da instalação.


Voltar
SINCAF - Sindicato Patronal das Indústrias da Construção de Limeira
Base Territorial - Limeira (SP)
Rua Prefeito Marciliano, 304-A - Jardim Mercedes

Fones: (19) 3451-3665 | 3451-4606
contato@sincaf.com
Todos os direitos reservados - Desenvolvimento SPHERA